JUL. 11, 2018 15:57:00

Produtores rurais investem mais R$ 500 mil em nova etapa do projeto de recuperação de nascentes no oeste da Bahia

Já engajados na recuperação de nascentes do Oeste da Bahia, os produtores rurais da região, por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) promoveram, nesta segunda-feira (9), no auditório das entidades em Barreiras (BA), o lançamento de uma nova etapa do Projeto de Recuperação de Nascentes.  Os agricultores vão investir, por meio de recursos do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), R$ 500.000,00 ao longo deste ano, para realizar ações de sensibilização por meio de capacitação de técnicos e moradores das áreas rurais, além da aquisição de insumos, mudas e equipamentos para revitalizar as nascentes de rios de onze municípios que abrangem as bacias hidrográficas do Grande, Corrente e Carinhanha.

Ao participar do evento de lançamento, a secretária de meio ambiente de Correntina, Regina de Castro, acredita ser necessário avançar na questão ambiental e inovar nas práticas de uso e manejo do solo para que todos tenham água por muito mais tempo. “Não basta apenas economizar, estamos aprendendo a produzir água para a vida”, afirma. Correntina recebe, entre os dias 11 e 13, o curso de recuperação de nascentes. Já o secretário de meio ambiente de Formosa do Rio Preto, Leanderson Barreto, explica que a ação já foi realizada no município quando foi recuperada a nascente da localidade do Arroz.  “O curso promovido durante a Semana do Meio Ambiente foi um diferencial das ações da área ambiental da nossa cidade ao ampliar o número de multiplicadores das técnicas de recuperação de nascentes e envolver mais pessoas em uma rede de proteção ambiental”.

Um dos incentivadores do projeto, o presidente da Abapa e produtor rural, Júlio Cézar Busato, explica que o aporte de recursos deverá multiplicar as ações realizadas nos municípios por meio das parcerias das secretarias municipais de meio ambiente, técnicos e consultores dos produtores rurais e das universidades da região. “Os agricultores com este aporte de recurso vão montar, por meio destes treinamentos, um verdadeiro exército de pessoas engajadas a diagnosticar, recuperar e proteger as nascentes da região, garantindo também as condições materiais para que as prefeituras possam executar os serviços nos municípios”, explica.

Para Busato, o lançamento desta nova etapa do projeto também apóia no diálogo que deve ser permanente entre produtores, municípios e entidades socioambientais. “Dependemos mais do que ninguém da terra e da água, e por vivermos aqui na região, também estamos engajados na preservação ambiental”, ao apontar estudo da Embrapa que mostra que 52% do cerrado da oeste da Bahia estão preservados, sendo a maioria em área dos próprios agricultores.

Para a diretora de meio ambiente da Aiba, a bióloga Drª Alessandra Chaves, a ideia é fomentar uma rede que também integre as instituições de ensino e pesquisa para montar uma estrutura com viveiro de mudas e associações e entidades de comunidades que coletam as sementes nativas. “Estamos em contato com todos os produtores para montar esse elo entre prefeituras, agricultores, entidades de ensino e pesquisa e sociedade civil para manter um trabalho permanente”, afirma ela, cuja previsão é de recuperar e proteger, ainda este ano, cerca de 100 nascentes de rios em todo o oeste da Bahia. Dentro do projeto incentivado pelos agricultores rurais, já foram recuperadas este cerca de 23 nascentes dos municípios de Barreiras, Cocos, Formosa do Rio Preto, Jaborandi, São Desidério e Wanderley, onde também já foram realizados os treinamentos práticos com os técnicos da Prefeitura e dos povoados.

Tags:
Fonte: Abapa