FEV. 13, 2020 14:45:00

Bayer faz conferência mundial para anunciar descobrimento de novas moléculas e sementes

Durante evento em Monheim, Alemanha, a Bayer anunciou hoje, 13 de fevereiro, os avanços de projetos e a pesquisa recentemente revelada em uma atualização da Divisão de Ciência das Culturas da empresa. Em 2019, a Bayer forneceu mais de 55 avanços importantes em projetos e formulações, oferecendo aos agricultores de todo o mundo mais de 450 híbridos e variedades recém-comercializados e variedades de milho, soja, algodão e vegetais. O investimento anual da Bayer, de 2,3 bilhões de euros em pesquisa e desenvolvimento de ciências agrárias, é quase o dobro do gasto dos próximos concorrentes mais próximos da empresa.


Mas os destaques ficaram mesmo para o anúncio de uma nova molécula de herbicida, que ainda está no início do desenvolvimento. É o primeiro pós-emergente para controle de ervas daninhas de amplo espectro em 30 anos. Além de um terceiro caminho para a descoberta de milho de baixa estatura através da edição de genes e o avanço de soja tolerante a um terceiro herbicida

 

Novos avanços


Descobrir novos modos de ação de herbicidas tem sido um desafio para a indústria, e nesta quinta- feira a Bayer anunciou uma molécula na Fase 2 do desenvolvimento inicial que demonstrou controle eficaz de gramíneas resistentes. A descoberta desta molécula está sendo complementada por um programa de identificação e desenvolvimento de uma característica biotecnológica correspondente para transmitir tolerância a herbicidas.


Por ser muito mais baixo que o milho híbrido de hoje, o conceito de milho de baixa estatura permite que os agricultores tenham melhor acesso para aplicações mais precisas de insumos, como nitrogênio, que podem ser feitos quando a planta mais precisa. Alguns híbridos de milho de baixa estatura também podem ser plantados mais próximos, permitindo a produção de mais milho na mesma quantidade de terra e potencialmente reduzindo os requisitos de terra e água. Uma estatura mais baixa também ajudará a melhorar a estabilidade, incluindo uma melhor tolerância ao tombamento do caule, ajudando a reduzir a perda de colheitas devido a condições ambientais desafiadoras, como ventos fortes em condições climáticas extremas. A Bayer anunciou que as abordagens de melhoramento e biotecnologia para criar milho de baixa estatura estão avançando para a Fase 3 e também desvendou um terceiro caminho para o milho de baixa estatura através da edição de genes.

A soja XtendFlex, a próxima geração de controle de ervas daninhas para a soja, está avançando para a fase de lançamento nesta primavera nos EUA, aguardando aprovações regulatórias. Este produto baseia-se na base da soja Roundup Ready 2 Xtend e adiciona tolerância a outro herbicida, o glufosinato. Além do XtendFlex, a Bayer avançou as características tolerantes a herbicidas de soja de quarta e quinta geração, liderando o setor com tolerâncias para seis classes de herbicidas que deverão ser lançadas até 2030.

ThryvOn, uma nova tecnologia de controle de percevejo e tripes em algodão, deve ser lançada em 2021, aguardando aprovação regulatória. Prevê-se que o ThryvOn forneça um grande valor aos agricultores, apoiando o crescimento saudável das plantas e ajudando a proteger o potencial de rendimento contra pragas. Os avanços nos tratamentos de proteção a insetos vão reduzir a necessidade de aplicações de inseticidas foliares e melhorar a produtividade por hectare.

As soluções atuais de proteção de colheitas da Bayer ainda incluem um novo fungicida para cereais, o Iblon. O trigo europeu tratado com iblon excedeu os padrões de mercado em média de 2,2% a mais de produtividade, permitindo que os agricultores fossem mais eficientes e sustentáveis ​​em todos os níveis de seus negócios.

Após a apresentação de todas as novidades e lançamentos, o presidente da Bayer Liam Condon, ainda respondeu às perguntas dos jornalistas e com relação à previsão de chegada ao Brasil da nova molécula de herbicida, disse que serão necessários pelo menos mais 10 anos dada a todos os testes ainda necessários e os requisitos regulatórios do país. Sobre a aprovação da China para a plataforma Intacta2 Xtend comentou que as negociações continuam muito positivas e que a realização da fase 1 do acordo comercial entre os EUA e China devem ajudar a acelerar o processo.

Por: Daniel Olivi