Seguro rural na cultura do milho é tema de webinário

A AgroSeguros participou do evento e destacou a funcionalidade da plataforma BolsaAgro Seguros
Por Bolsa Brasileira de Mercadorias BBM
17/03/2021

Seguro rural na cultura do milho é tema de webinário

A AgroSeguros participou do evento e destacou a funcionalidade da plataforma BolsaAgro Seguros
Por Bolsa Brasileira de Mercadorias BBM
17/03/2021

Em busca da autossuficiência no mercado do milho, o Rio Grande do Sul avança na colheita do grão e já ultrapassa 60% da safra atual segundo o último Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS divulgado no dia 11 de março. Na Fronteira Oeste do Estado, onde a colheita da safra já está encerrada, o milho foi muito prejudicado pela falta de chuvas nas fases iniciais e reprodutiva. Segundo o relatório, há algumas áreas com perda total e outras com médias de 3 mil quilos por hectare. E é justamente neste ponto que o debate sobre seguro rural ganha relevância.

 

Pensando nisso, a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul (Seapdr) e a Emater/RS-Ascar realizaram na manhã desta quarta-feira (17),  a 7ª edição do Webinário do Programa Pró-Milho, com o tema Seguro Rural na Cultura do Milho. O Pró-Milho tem como objetivo geral incentivar, fomentar e coordenar ações que aumentem a produção e a qualidade do grão no estado gaúcho. O RS deverá colher entre 3 milhões e 3,5 milhões de toneladas do cereal na temporada, o que representa uma queda de quase 30% da produção.

 

O evento, gratuito tratou sobre as formas de contratação do seguro e contou com mais de 500 pessoas acompanhando a programação simultaneamente pelo Youtube e pelo Facebook do programa Rio Grande Rural da Emater. O encontro contou com a participação do secretário da Agricultura, Covatti Filho, e do diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri. Já as apresentações sobre a relevância do Seguro Rural para a cultura do milho foram feitas pelo diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Pedro Loyola, pelo diretor da Agroseguros Corretora, Alfredo Saldiva Pagano, e pelo assistente de crédito Rural da Emater/RS-Ascar, Celio Colle.

 

Segundo dados do Ministério da Agricultura apresentados durante a manhã, no ano passado, 2.955 produtores de milho contrataram seguro para suas lavouras, totalizando em 122 mil hectares assegurados no Rio Grande do Sul. Ainda de acordo com a pasta, nos últimos 16 anos o produtor gaúcho perdeu, em média, 30% da sua produção em função de intempéries climáticas e outros eventos. As diretrizes do programa Pró-Milho apontam que o seguro rural é uma importante ferramenta de proteção contra os riscos e necessita ser difundido para o maior número de produtores.

 

Na apresentação do Mapa, foi mostrado que, no ano, passado foram pagos R$ 2,5 milhões em indenizações aos produtores brasileiros pelas companhias seguradoras e que a sinistralidade aumentou significativamente nos últimos anos, chegando aos atuais 75%. Foram aplicados mais de R$ 800 milhões no setor no ano passado, com mais 100 mil produtores brasileiros acessando as apólices, um grande salto frente a anos anteriores.  Loyola ressaltou que, apesar do aumento nas contratações, ainda é necessária uma mudança de olhar em relação ao seguro nas lavouras. “Alguns produtores só olham o custo, não olham o benefício”, explanou. No caso da pecuária, o dirigente ressaltou que a contratação de seguro hoje é quase inexistente.

 

O extensionista da Emater/RS-Ascar e assistente de crédito Rural no RS, Célio Colle, abordou a "Extensão Rural no apoio ao Proagro e Seguro Agrícola". Colle destacou que o crédito rural é uma ferramenta para o desenvolvimento do campo. "Quando o produtor rural sofrer um advento negativo que impacta na sua produção, ele poderá se utilizar do Proagro e/ou do Seguro Rural. Nossas equipes procuram informar os agricultores da necessidade de ter algum tipo de amparo para as suas atividades, visando mitigar os impactos negativos de uma quebra e/ou redução de sua safra".

 

O diretor da Agro Seguros, Alfredo Saldiva Pagano, falou sobre a nova fase de apresentação dos seguros para conhecimento, cotação e contratação dos participantes do agronegócio e destacou a plataforma BolsaAgro Seguros. "O contrato da Agro Seguros com a Bolsa Brasileira de Mercadorias, por exemplo, oferece 80 tipos de seguros de forma digitalizada e contribui para a democratização da contratação de seguro. O tratamento é o mesmo para todos os produtores, pequenos, médios e grandes", explicou. A plataforma reúne as principais seguradoras do ramo do país e, por meio dela, é possível solicitar cotações e contratações de seguros de forma digital.

 

O Rio Grande do Sul é o segundo estado brasileiro que mais contrata seguro rural, atrás somente do Paraná. Em terceiro lugar, aparece o estado de Goiás.  No estado de São Paulo, pelo menos cinco municípios auxiliam o produtor local na contratação de seguro fomentando a prática. “Enquanto o seguro não for visto como um insumo e ele precisar ser vendido ao invés de comprado, nós não atingimos nossa meta”, finalizou Pagano.

 

Assista aqui o 7ª Webinário do Programa Pró-Milho

 

Conheça a plataforma BolsaAgro Seguros

 

 

 

Últimos Posts