RELATÓRIO - O mercado do algodão e a China

Por Bernardo Souza Lima – Souza Lima Corretora
Por Bernardo Souza Lima – Souza Lima Corretora
21/02/2020

RELATÓRIO - O mercado do algodão e a China

Por Bernardo Souza Lima – Souza Lima Corretora
Por Bernardo Souza Lima Souza Lima Corretora
21/02/2020

O mercado internacional de algodão reagiu positivamente à notícia vinda da China a respeito da isenção de tarifas para cerca de 700 produtos norte-americanos já a partir do dia 2 de março, incluindo agricultura e energia. A medida deve ajudar a aliviar a escassez imediata causada pelo coronavírus.

 

Carente de notícias positivas, o mercado ficou entusiasmado com o possível retorno da China de forma mais ativa nas compras. Dados do Conselho Nacional de Algodão (NCC) dos Estados Unidos contribuíram para os ganhos. Segundo o Conselho, a área plantada com a fibra em 2020 deve recuar 5,5% em relação a 2019. Ao término do pregão no mesmo dia, os futuros de Nova York com posição para maio de 2020, que já pode ser considerada a spot, fechou a US$ 0,6937 e dezembro 2020 a US$ 0,7004 por libra peso.

 

A volatilidade do câmbio nos últimos dias, com o dólar comercial batendo novos recordes de alta, deu suporte para que a cotação do algodão brasileiro mantivesse uma trajetória firme no mercado doméstico. O indicador BBM para o algodão em pluma Posto São Paulo, está na casa dos R$ 2,87 por libra peso na última semana com uma valorização acima de 5% no acumulado de 30 dias.

 

Já o indicador Esalq fechou na quinta-feira (20) a R$ 2,8505 por libra peso, posto fábrica, base pelo tipo 41-4 e com 8 dias. Trata-se do maior patamar desde maio de 2019. Comparado ao mesmo período do mês passado, acumula alta de 6%.

 

Confira a cotação atualizada do algodão em pluma no Indicador BBM

Últimos Posts