Destaque

JAN. 27, 2017

Produtores de trigo seguem desanimados mesmo após os leilões de PEP e PEPRO da Conab

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) promoveu ontem dois leilões de trigo para apoiar o escoamento do grão na região sul do país. No leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) foram ofertadas 85 mil toneladas, sendo que somente o estado do Rio Grande do Sul negociou. O leilão de Pepro alcançou 85,7% ou seja, vendendo 72 mil toneladas com valor total da operação de 12,297 milhões de reais.

Já o Prêmio de Escoamento do Produto (PEP) fechou em apenas 14% ou 4,2 mil toneladas. A exemplo do Pepro, somente o Rio Grande do Sul participou dessa modalidade. O valor da operação foi de 888,300 mil reais. Segundo a Conab, o valor total do PEP e do Pepro ficou em R$ 13,1 milhões.
 

De acordo com o corretor Giuliano Ferronato, da Corretora Mercado, da BBM, o leilão de PEP teve pouca procura porque o volume vendido era pra fechar o navio do leilão anterior. Já o leilão de Pepro teve bastante disputa porque até então este seria o último leilão da Conab para o trigo.

Para o corretor da BBM no Rio Grande do Sul, Julio Fachio, da corretora JFachio, os instrumentos de apoio não chegaram a tempo. "Faltam voz aos produtores. Esta foi a melhor safra da década e foi comercializada abaixo do preço mínimo. O remédio chegou muito tarde". Ele afirmou ainda que haverá um deságio de 30% do preço mínimo.

As corretoras associadas a Bolsa Brasileira de Mercadorias negociaram 99% do que foi ofertado no leilão de Pepro.


Desde novembro a Conab vem realizando esses leilões com o objetivo de ajudar os produtores da região sul a escoar o produto. Novas ofertas estão previstas para o dia 1º de fevereiro apenas no leilão de Pepro.

 

Últimos Posts