Destaque

JUN. 13, 2019

Como se proteger por meio de registro de contrato no mercado do feijão

Aconteceram algumas reclamações esta semana de empacotadores sobre o descumprimento de contratos entre produtores e compradores. É um jogo que mina a confiança dos já desconfiados players do nosso mercado. Dinheiro na conta e o produtor não entrega. Mercadoria vendida e o comprador não carrega.

 

Diante deste fato muito reclamado e pouco discutido, o que pode se afirmar é que há como evitar este tipo de situação. Um contrato registrado na Bolsa Brasileira de Mercadorias pode evitar muita dor de cabeça.

 

As corretoras de mercadorias podem registrar os contratos que, em caso de descumprimento, acionam a arbitragem que tem força de título executivo, portanto, com rápida solução. Sem burocracia e com alta taxa de sucesso, este pode ser o caminho para evolução dos contratos.

 

Na terça-feira (11), foram registrados negócios efetuados entre R$ 180 para feijão carioca extra (FOB Minas Gerais). Já para o feijão preto, há registro de negócios reportados por R$ 130 e, rajados, entre R$ 150/160 (FOB fazenda). Confira os números de hoje no Indicador BBM

 

Fonte: Ibrafe (publicado no portal Notícias Agrícolas)

Edição: imprensa BBM 

Últimos Posts