Chuvas aliviam pouco o estresse hídrico em cafezais

Confira as cotações atualizadas do café no Indicador BBM
Por BBM/Foto: Cooxupé
20/10/2020

Chuvas aliviam pouco o estresse hídrico em cafezais

Confira as cotações atualizadas do café no Indicador BBM
Por BBM/Foto: Cooxup
20/10/2020

Os cafezais brasileiros vem sofrendo com a falta de chuvas e com as altas temperaturas ao longo de 2020. Mesmo com algumas precipitações observadas em diferentes regiões cafeeiras no início deste mês, o volume hídrico não deve ter sido o suficiente para reverter os impactos do período de seca. Éder Ribeiro dos Santos, coordenador de Geoprocessamento da Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé ou Cooxupé mostrou preocupação com a produção. “Essa longa seca que iniciou em abril e que se acentuou em agosto e setembro tem causado um impacto muito negativo nas lavouras cafeeiras”, enfatizou.

 

As duas floradas, uma no início de setembro e, outra, no início de outubro, enfrentaram situações muito ruins causadas por essas altas temperaturas e déficit hídrico acentuado e essa condição já prejudicou a produtividade mas, segundo a Cooxupé, ainda é cedo para avaliar o tamanho do estrago. “O fato é que 2021, que já seria um ano de bienalidade baixa, terá um viés ainda mais baixo em função das condições climáticas”, resumiu Éder.

 

Assista a entrevista completa com a Cooxupé exibida no Canal do Boi

 

De acordo com a meteorologia, entre os dias 29 de outubro e dois de novembro, além de Minas Gerais, São Paulo e Goiás, há previsão de chuva mais intensa sobre o norte do Rio Grande do Sul e centro do Paraná, nordeste de Mato Grosso do Sul e sul de Mato Grosso, o que pode trazer mais algum alívio nas regiões produtoras. 

 

Enquanto no campo o produtor acompanha o desenvolvimento das lavouras com preocupação, nos portos, os negócios seguem fortes. Em setembro, o país registrou o maior volume embarcado para o mês, estimado em 3,795 milhões de sacas. Um acréscimo de 8,6% frente ao mesmo período do ano passado (considerando a soma de café verde, solúvel, torrado/moído).

 

Em relação aos preços, o indicador da Bolsa Brasileira de Mercadorias mostra uma alta de 2,18% na cotação do café arábica em Guaxupé (MG) no acumulado dos últimos 30 dias, com o valor médio de R$ 560,00/saca de 60 kg. 

 

Confira as cotações do café em todas as regiões produtoras

Últimos Posts