Cerealpar será única empresa brasileira de agro no Malta Blockchain & AI Summit

A Cerealpar, uma corretora de cereais com matriz em Curitiba (PR) e escritórios em Mato Grosso, será a única empresa do agronegócio brasileiro a ministrar palestra no Mal...
Por Bolsa Brasileira de Mercadorias BBM
10/05/2019

Cerealpar será única empresa brasileira de agro no Malta Blockchain & AI Summit

A Cerealpar, uma corretora de cereais com matriz em Curitiba (PR) e escritórios em Mato Grosso, será a única empresa do agronegócio brasileiro a ministrar palestra no Mal...
Por Bolsa Brasileira de Mercadorias BBM
10/05/2019

A Cerealpar, uma corretora de cereais com matriz em Curitiba (PR) e escritórios em Mato Grosso, será a única empresa do agronegócio brasileiro a ministrar palestra no Malta Blockchain and Artificial Intelligence Summit 2019.

 

O evento internacional é considerado o maior no mundo desta área e pretende superar o sucesso do ano passado, quando teve a participação de 8.500 pessoas de 80 países, 300 expositores e 200 palestras. Além disso, haverá espaço especifico destinado a 100 start-ups do mundo inteiro, que foram selecionadas por um júri internacional. O evento vai acontecer no Hilton Hotel em Malta, nos dias 23 e 24 de Maio 2019. O diretor de desenvolvimento de novos negócios da Cerealpar, Steve Cachia, é convidado da Project Freedom, uma empresa que pretende levar a tecnologia blockchain a todas as camadas sociais e usar como instrumento de crescimento econômico, principalmente em países em desenvolvimento. O tema da palestra do diretor da Cerealpar será “Blockchain e Tecnologia para a Segurança Alimentar”.

 

Malta

 

Malta, o menor país da União Europeia, já se estabeleceu como novo centro financeiro e hub para negócios para a Região do Mediterrâneo. Usado também como centro para distribuição de produtos, inclusive agrícolas, para o Sul da Europa, o Norte da África e o Oriente Médio, Malta agora entrou no circuito da tecnologia e já recebeu o apelido de “Ilha Blockchain”. No ano passado, o parlamento de Malta aprovou três projetos de lei que estabelecem uma estrutura regulatória para a tecnologia blockchain e, assim, tornando-se o primeiro país do mundo a reconhecer de modo oficial esta tecnologia e sinalizar positivamente para a economia do futuro. Aprovando estas leis favoráveis a blockchain e cryptomoedas e fornecendo uma estrutura legal e sólida, o país acabou atraindo as principais bolsas (exchanges) mundiais e em poucos meses se tornou o número um no mundo em transações de Bitcoin.

 

Com uma série de estímulos, inclusive fiscais e financeiros para start-ups de tecnologia, Malta busca se consolidar como jurisdição referência para está nova indústria. O próximo passo vai ser tomado ainda este ano, quando, após o Summit, o governo deve passar uma nova lei para enquadrar os aspectos legais da Inteligência Artificial e, assim, se consolidar de vez entre os líderes mundiais desta tecnologia.

 

Vista da capital de Malta, Valletta

 

Com uma experiência de 30 anos atuando na indústria do agronegócio, Cachia foi convidado justamente para discutir e debater a importância da AgTech, tecnologia para a agricultura usada como instrumento para contribuir na segurança alimentar mundial, que, invariavelmente, seja por razões geopolíticos e/ou climáticas, provocam tensões em países que dependem da importação de produtos agrícolas. A tecnologia blockchain é considerada um novo instrumento que pode facilitar o acesso ao mercado a todos dentro da cadeia, inclusive ao pequeno produtor. De dentro da porteira para a comercialização internacional de produtos agrícolas, a tecnologia blockchain pretende baratear e desburocratizar muitos dos processos dentro da “supply chain”.

 

Analista de commodities agrícolas por profissão, Steve Cachia já ministrou centenas de palestras no Brasil e exterior, abordando temas relacionados ao cenário de preços e oferta e demanda de produtos agrícolas como complexo soja, milho e trigo. As inúmeras viagens ao exterior permitiram que ele acompanhasse de perto as evoluções acontecendo também no mundo tecnológico. A Cerealpar já foi procurada por inúmeras empresas que detém a tecnologia para aumentar a produtividade e melhorar a eficiência na comercialização, mas que não têm acesso ao campo.

 

No momento, a Cerealpar está colaborando com dois principais projetos de start-ups de tecnologia blockchain. Um, que promete revolucionar o sistema de comercialização de grãos e, o outro, que visa resolver a maioria dos problemas encontrados no setor imobiliário, inclusive rural. Mais recentemente, Steve Cachia aceitou a indicação para ser também Relações Internacionais da Leaxcoin (https://leax.io/), empresa que está trabalhando na tokenização de projetos de infraestrutura para o agronegócio.

 

Para maiores informações sobre o Summit, podem entrar em contato através do email steve@cerealpar.com.br ou acessar o site https://maltablockchainsummit.com/

 

A Cerealpar pode ser contatada através do telefone: +55-41-3213-1117 ou email steve@cerealpar.com.br. Site: http://www.cerealpar.com.br/

 

Fonte: Notícias Agrícolas (matéria editada por BBM)

 

A Cerealpar é uma das 130 corretoras associadas à Bolsa Brasileira de Mercadorias.

Últimos Posts