Destaque

OUT. 02, 2018

Canal do Boi está na Bolsa Brasileira de Mercadorias

Em nova fase, o Canal do Boi inaugurou no segundo semestre de 2018, seus estúdios na sede da Bolsa Brasileira de Mercadorias, no centro de São Paulo (SP). A parceria pretende dar ainda mais visibilidade aos serviços oferecidos pela Bolsa dentro do segmento agrícola. No local, os jornalistas, Valter Puga Júnior e Sara Kirchhof, fazem entradas ao vivo durante toda programação da emissora, levando informações importantes de mercado para o meio rural. “A nossa ideia, junto ao Canal do Boi, é poder proporcionar conteúdo de qualidade para que o canal possa passar ao seu público, informações sobre cotações, mercado e política agrícola, servindo como um termômetro para os negócios”, resume o diretor da Bolsa, Cesar Henrique Costa.

 

Hoje, a Bolsa opera os leilões dos instrumentos de política agrícola e dos produtos dos estoques do governo federal da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Além disso, a Bolsa Brasileira de Mercadorias realiza leilões eletrônicos agrícolas com o uso de uma plataforma que tem a capacidade de concretizar a venda de produtos a partir da oferta de produtores rurais, cooperativas, cerealistas e demais interessados. Para isso, a entidade conta com o trabalho de mais de 130 corretoras associadas, sendo a maior rede de corretoras de mercadorias do país. Agora, a Bolsa também oferece outra facilidade, o Bolsa Agro, aplicativo de compra e venda de produtos e serviços agrícolas por tablets e smartphones. O lançamento do app aconteceu no mês de setembro. 

 

Também em setembro, a Bolsa lançou novos indicadores de preços agrícolas para milho, soja, arroz, feijão, trigo e café, além de dar continuidade à divulgação do Indicador de Algodão (em pluma), que já é uma referência no mercado. Todos os números são formados a partir da contribuição de corretoras localizadas em diferentes partes do país e divulgados no site da Bolsa diariamente às 17h. “Os registros da Bolsa Brasileira de Mercadorias mostram os dados reais do mercado e das negociações que foram feitas. O mercado físico de algodão com negócios na Bolsa apresenta números seguros, é por isso que o mercado confia nesses números que trazem as negociações reais naquele dia”, explica Puga, jornalista do Canal do Boi há 15 anos.

 

Os negócios realizados na Bolsa contam com o amparo da Câmara Arbitral, com alto nível de satisfação de entidades representativas do agronegócio na resolução de conflitos. Além disso, os trâmites contratuais são feitos em sistemas de registros e de informações como o Sinag e Sinap, com serviço de assinatura com certificação digital. “Estamos muito contentes com a parceria firmada com o Canal do Boi. Existe uma sinergia muito grande entre as duas instituições. Podemos dizer que elas se completam, uma vez que divulgamos as atividades e os produtos da Bolsa Brasileira de Mercadorias aos telespectadores do Canal do Boi e, ao mesmo tempo, podemos fornecer conteúdo e informações de mercado levantadas junto ao nosso quadro de corretores”. A constatação é do presidente do Conselho de Administração da Bolsa, João Paulo Lefèvre.

 

Canal do Boi

 

O Canal do Boi surgiu em 1995 e é um dos canais que integram o Sistema Brasileiro do Agronegócio (SBA). Com programação destinada para assuntos relacionados ao agronegócio brasileiro, o Canal do Boi é o primeiro canal de TV voltado para leilões de pecuária no mundo.

 

A sede do SBA está localizada em Campo Grande (MS)

SOBRE O SBA

 

O Grupo Sistema Brasileiro do Agronegócio (SBA) é formado pelas emissoras Agro Canal, Canal do Boi, Novo Canal e Conexão BR, gerando conteúdo informativo para mais de 100 milhões de telespectadores em território nacional e de fronteira, tornando-se importante fonte de informação e geração de negócios. O Grupo SBA oferece alta tecnologia com equipamentos modernos que garantem excelência na qualidade de som e imagem. Possui quinze unidades móveis de transmissão ao vivo e equipe de jornalismo atuante, que viaja a todos os estados brasileiros para a cobertura e produção de material audiovisual. Tudo isso em uma grade de programação estruturada e com suporte de conteúdo na web pelo portal: www.sba1.com.

 

Do Brasil para o mundo

 

Para assistir à programação do Grupo SBA, o público conta com três importantes fontes de transmissão:

 

TV a Cabo

 

Em 2018, o SBA estreou na NET e na Claro TV pelo canal 190, além de já estar presente anteriormente em mais de 70 operadoras associadas à NeoTV em 335 municípios e em 19 estados, onde a atividade agropecuária é reconhecidamente mais desenvolvida. Outras 25 operadoras no Paraguai também recebem diariamente a programação dos canais SBA.

 

Antena Parabólica

 

Principal sistema de transmissão no meio rural, a parabólica oferece cobertura nacional e para países do Mercosul sem cortes, alcançando aproximados 22 milhões de domicílios, sendo que, 10 milhões de domicílios têm apenas este recurso para acessar TV aberta por estarem situados em zonas rurais ou em municípios que não têm sinal.

 

Internet

 

No portal www.sba1.com, toda a programação é transmitida ao vivo pela web com qualidade de TV. Isso, porque o Grupo SBA utiliza a internet como uma importante ferramenta na transmissão de seu conteúdo informativo, aliando disponibilidade de banda de acesso com modernos conversores de vídeo e servidores de alta qualidade.

 

*(Fonte: ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV)

Últimos Posts